Laranja-baía

Laranja-baía (Citrus sinensis)

Nome Científico: Citrus sinensis

Nomes Populares: Laranja, Laranjeira

Família: Rutaceae

Categoria: Árvores, Árvores Frutíferas

Clima: Continental, Mediterrâneo, Oceânico, Subtropical, Temperado, Tropical

Origem: Ásia

Altura: 6.0 a 9.0 metros

Luminosidade: Sol Pleno

Ciclo de Vida: Perene

A laranja, fruto da laranjeira, é uma deliciosa fruta cítrica, e uma das frutas mais cultivadas no mundo todo. A laranjeira é uma árvore de porte médio e copa densa, arredondada e perene. Sua origem é controversa, diz-se que pode ser oriunda da Índia, China ou Vietnãm, mas sabe-se de fato que a laranja é consumida desde à antiguidade. Seu tronco e ramos apresentam casca castanho-acinzentada e são um tanto tortuosos. As folhas são verdes, coriáceas, brilhantes e muito aromáticas.

A flores da laranjeira simbolizam a pureza, são brancas, pequenas e perfumadíssimas, atraindo abelhas melíferas em profusão. O mel de flores de laranjeira é um dos mais valorizados no mercado. Delas também extraem-se essências amplamente utilizadas na culinária, principalmente a árabe, e na indústria de perfumes. Os frutos são em geral esféricos, de casca alaranjada, com pericarpo branco, rico em pectina. A polpa é aquosa, de coloração entre o amarelo claro e o vermelho.

Dependendo da variedade, os frutos podem conter sementes ou não, que são arredondas e achatadas, de coloração verde-esbranquiçada a pardacenta. A frutificação pode-se estender durante todo o ano, mas é mais abundante no outono. Há cerca de 100 variedades de laranja produzidas em escala comercial. No Brasil, as diferentes variedades de laranja são classificadas em três grupos principais. As laranjas de umbigo, próprias para a mesa, caracterizadas pela presença de um fruto rudimentar no ápice do fruto; as laranjas comuns, mas ácidas e próprias para sucos; e as laranjas de baixa acidez, como a laranja-do-céu, de sabor mais suave, muito doce e pouco ácida.

As laranjas são comumente consumidas in natura, em sucos ou em preparações culinárias, como em bolos, caldas, geléias, chás, compotas, licores, sorvetes e uma infinidade de outras sobremesas. Sua polpa é surpreendente também em pratos salgados, como em molhos para aves, peixes e carne vermelha. Os óleos essenciais de laranja, extraídos principalmente da casca tem ampla utilização na indústria de perfumes, cosméticos, produtos de limpeza e aromaterapia, com propriedades calmantes e anti-depressivas.

As laranjeiras devem ser cultivadas sob sol pleno, em solo fértil, profundo, enriquecido com matéria orgânica e irrigado a intervalos regulares. O plantio das mudas deve ser realizado no início da estação chuvosa, para facilitar o “pegamento”. É uma planta relativamente rústica e de fácil adaptação, apesar de ser sensível a uma infinidade de pragas e doenças que reduzem sua produtividade. Há variedades para as mais diversas condições climáticas, umas mais apropriadas ao clima ameno e outras mais adaptadas ao calor. O conhecimento sobre podas é muito importante na condução de pomares de laranjeiras e as principais podas compreendem a poda de formação, a de limpeza e a de rejuvenescimento. Multiplica-se principalmente por enxertia, mas pode ser propagada por sementes com facilidade.

Originária da Bahia, esta variedade não possui sementes e sua casca é grossa, de um laranja forte é fácil de retirar. Sua polpa é consistente, granulada e de um tom alaranjado vivo. É uma laranja grande, com uma protuberância ou cavidade carnuda no lado oposto à haste, a que deve seu apelido de laranja-de-umbigo. Este “umbigo” é na verdade uma segunda laranja que nasce nesta extremidade, mas não se desenvolve completamente.

Os pés de laranja-da-baía têm grande porte. Suas copas de folhas verde escuras e grandes, são arredondadas e com muita folhagem. Podem produzir de 150 a 250 kg de laranjas por árvore. Seus frutos maturam geralmente entre abril e junho, com pico em maio.

É muito usada em saladas.

A laranja-da-baía é provavelmente uma mutação natural que teria ocorrido em Salvador, Bahia, no bairro do Cabula, por volta de 1800. Acredita-se que tenha se originado da laranja-seleta.

Suas mudas passaram a ser disputadas. Mudas foram enviadas pelos serviços diplomáticos dos Estados Unidos pra Riverside, na Califórnia. Daí saíram as mudas que se espalharam não só pelos EUA, mas pelo mundo, agora chamadas de Washington Navel.

Medicinal:

Indicações: Infecções, febres, problemas respiratórios, escorbuto (carência de vitamina C), aterosclerose, afecções da pele, intoxicações, ansiedade, reumatismo

Propriedades: antibiótica, adstringente, antiescorbútica, antiespasmódica, antiinflamatória, anti-séptica, antitérmica, calmante, regulador intestinal

Partes Utilizadas: folhas, frutos

 

Referências:

Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Laranja-da-ba%C3%ADa. Acessado em: 02 jul 2021.

Disponível em: https://www.jardineiro.net/plantas/laranja-citrus-sinensis.html. Acessado em: 02 jul 2021.

Os comentários estão encerrados.