Lantana

Cambará (Lantana camara)

 

Domínio: Eukaryota

Reino: Plantae

Sub-reino: Viridiplantae

Infrarreino: Streptophyta

Superdivisão: Embryophyta

Divisão: Tracheophyta

Subdivisão: Spermatophytina

Classe: Magnoliopsida

Superordem: Asteranae

Ordem: Lamiales

Família: Verbenaceae

Gênero: Lantana L.

Nome Científico: Lantana camara

Nomes Populares: Cambará, Bandeira-espanhola, Camará, Camaradinha, Cambará-de-cheiro, Cambará-miúdo, Cambará-verdadeiro, Cambarazinho, Chumbinho, Lantana, Lantana-cambará, Verbena-arbustiva

Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Flores Perenes, Plantas Daninhas

Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical

Origem: América Central, América do Sul

Altura: 0,9 a 1,2 metros

Luminosidade: Sol Pleno

Ciclo de Vida: Perene

 

Arbusto florífero de efeito muito ornamental, o cambará é excelente para a formação de maciços e bordaduras. Suas folhas são opostas e muito pilosas, e os seus ramos flexíveis podem ser eretos ou semipendentes. As inflorescências são compostas por numerosas flores, formando mini-buquês das mais variadas cores, como laranja, rosa, vermelho, amarelo e branco; sendo comum observar, na mesma inflorescência, flores com colorações diferentes do centro para a periferia. Os frutos são do tipo drupa.

Deve ser cultivado a pleno sol, em solo fértil enriquecido com composto orgânico, com regas periódicas. Tem grande potencial invasivo, tornando-se daninha em determinadas situações. Também é considerada planta tóxica e sua utilização terapêutica deve ter acompanhamento médico. Tolerante ao frio e às podas. Multiplica-se por estacas e sementes.

Lantana L. é um género com cerca de 530 espécies de plantas perenes, originário da Índia e nativo das regiões tropicais das Américas e África. Inclui plantas herbáceas e arbustos, atingindo até 2 m de altura. O gênero foi descrito por Carl Nilsson Linnæus no ano de 1753.[1]

É dividido em cerca de 530 espécies, incluindo:

  • Lantana camara (sin. L. aculeata ou L. armata)
  • Lantana montevidensis
  • Lantana rugulosa
  • Lantana tiliifolia
  • Lantana trifolia

As plantas mais comuns são as Lantana camara, seguidas das Lantana montevidensis e híbridos entre as duas.

Cambará-de-jardim, lantana-cambará, camarazinho.

Algumas espécies são invasivas e são consideradas daninhas em determinadas áreas da Ásia meridional, África meridional e Austrália.

As flores são agrupadas em hastes florais aromáticas e florescem quase o ano inteiro. Apresentam várias cores, com destaque para as cores vermelha, amarela, laranja e branca. Atraem agentes polinizadores como borboletas, insectos e pássaros.

As bagas da lantana são tóxicas para o homem. Em animais de produção pode causar fotossensibilização secundária (hepatógena).

É largamente cultivada para bordaduras e maciços em climas tropicais e subtropicais, devido às cores das suas flores. Em climas temperados cultiva-se como planta anual.

Exige poucos cuidados por ser uma planta rústica. Gosta de clima quente e úmido e solo arenoso e rico em matéria orgânica. Precisa ser regada com frequência nos primeiros meses após o plantio e uma vez por quinzena quando não chover. Prefere sol pleno. É bom podar apenas os ramos secos, doentes ou mal formados. Propaga-se no verão através da estaquia da ponta de ramos.

Adubação: Adubar uma vez por ano com farinha de osso, farinha de peixe ou torta de algodão. Usar fosforita superfosfato e termofosfato ou NPK rico em fósforo.

Males: A aranhinha-vermelha é uma praga comum.

 

Referências:

Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lantana. Acessado em: 21 jul 2021.

Disponível em: https://www.jardineiro.net/plantas/cambara-lantana-camara.html. Acessado em: 21 jul 2021.

Os comentários estão encerrados.